Busca por conteúdo, posts e vídeos

PARIS: O QUE FAZER NA CIDADE DAS LUZES?

Meu grande medo ao chegar em Paris foi justamente a língua: como me virar com francês?

Calma…  Todos eles falam (só que meio enrolado) o inglês. E sim, dá pra se virar! Mímica ajuda muitas vezes… rs

O francês é tão difícil que durante 7 dias tentei falar o número do quarto no hotel. 24. Só acertei o tom da pronúncia no quinto dia (e ai se falasse errado, eles não gostam)!

Comprei as passagens no jetcoast, que tem um preço mais barato e fiz um roteiro bacana. Ir e voltar do mesmo destino é sempre a melhor opção. Pegar 30 horas de vôo na classe econômica? Sim, ajuda no preço.

Ficamos no Hotel Pastel Paris. Com ótima localização, fica perto dos principais pontos da cidade. Mesmo assim, alugamos um carro (um golf turbo rs) por que queríamos viajar para outros locais.

Lá, você tem um estacionamento na rua, como nos Estados Unidos. Paga-se um valor de cerca de 9 euros para o veículo “dormir” na rua. Vale das 22h00 até as 9h00, quando o carro tem que sair da vaga.

SEIS LUGARES QUE VOCÊ NÃO PODE DEIXAR DE IR EM PARIS

1 – CHAMPS ELYSEES – No primeiro dia, fizemos um reconhecimento da área. É claro que, pra isso, fomos na Champs Elysses. É uma larga avenida, cheia de lojas caras de marca. Lá tem uma Louis Vuitton em que você entra na fila para conhecer a loja – co-nhe-cer. Muitos chineses saíam de lá com diversos itens. Chegamos a falar com uma francesa que disse que eles compram os originais para fazer os… “xinguilingui”. Sim, as marcas sabem e gostam disso como marketing, por isso que eles acabam fazendo modelos que já não são mais novidade.

2 – ARCO DO TRIUNFO – Logo na frente da Champs (pronuncia-se chãms) tem o Arco do Triunfo: contruído em 1836 pelos franceses para comemorar as vitórias de Napoleão. Dentro do arco você pode ver os nomes dos soldados que partiparam das guerras. Tudo sempre cheio de guardas. No final da Champs, você pode encontrar uma avenida muito elegante, cheia de hotéis luxuosos, sem falar nos carros que dá para ver ali. Final da Champs à direita.

3 – TORRE – Você é revistado quando chega lá e paga algo em torno de 15 euros para ver a torre debaixo. Existe um restaurante na torre. Eu não fui por que era muito caro. A torre é linda de perto. Vê-la à noite torna-se muito especial. Sem falar nas redondezas que tem muitos postes e monumentos. É um ar romântico que te deixa apaixonado por estar ali naquele momento.

4 – LOUVRE –  É tão grande, reúne tanta coisa, que você consegue andar no máximo 3 horas e nunca vai conhecer tudo. A pergunta que se faz quando vai ao Louvre: o que sobrou para os outros museus do mundo?  A Monalisa é extremamente disputada e fica com uma faixa vermelha que afasta o público. Ela é hipnotizante. Porém de tão pequena, acaba se tornando abaixo das expectativas. Além dela, tem o escriba, que também tem um olhar sensacional! Qualquer obra de arte é de parar, ficar admirando… Eu, como gosto das coisas do Egito, por exemplo, me refestelei. É inacreditável ver a época em que as obras foram feitas e a perfeição delas. É inacreditável. Tem que ir, senão não foi pra Paris.

5 – VERSAILLES (em português Versalhes) – Outro lugar que se não for, não foi pra Paris. É impressionante e arrepia. As pessoas se cotovelam para olhar. Os afrescos (pinturas no teto e paredes) são um show à parte. Móveis, a cama e o quarto do Rei Luis XV (ele tinha uma casa dentro do quarto). Portas maravilhosas e a tão conhecida sala dos espelhos. É uma imersão à cultura francesa. Não fomos ao jardim, só vimos de cima.  Fica na cidade de Versailles, a 40 minutos de Paris. Dá para ir de trem também.

6 – GALERIAS LAFFAYETE– Aqui é para as mulheres. As lojas são caras mas alguma coisinha, dá para levar. Os franceses são muito elegantes, presam pela qualidade das roupas e do que vestem… Você pode até se inspirar ali. As principais marcas estão na Galeria: Dior e Chanel, bem na entrada… rs