Busca por conteúdo, posts e vídeos

OZÔNIOTERAPIA: DO COMBATE A DOENÇAS GRAVES À ESTÉTICA

Saiba como a terapia funciona e onde procurar no Brasil.

Rafael Nadal, Cristiano Ronaldo e atletas não tão famosos como Fábio Araújo tem algo em comum: lesões nas articulações e um tipo de tratamento revolucionário. Fabio é professor de tênis e foi diagnosticado com artrose nos joelhos: doença degenerativa e incurável, que impossibilitaria Fábio de trabalhar e praticar o esporte preferido. Os médicos, segundo Fábio, indicaram a colocação de uma prótese. Mas ele, que contou sua história para reportagem do Sbt, recorreu à ozônioterapia e, agora, continua jogando.
“É um tratamento mais barato, que concorre com a indústria farmacêutica”, afirma Marisa Lima, que aplica ozônio em diversos pacientes, atletas ou não, no Brasil.
Apesar de não ser reconhecida pelo Conselho Federal de Medicina, a terapia já é usada em tratamentos de pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS). Nesses casos, é usada como terapia complementar por determinação do Ministério da Saúde. Pacientes com diabetes e câncer, demonstraram resultados satisfatórios contra essas doenças.

NA ESTÉTICA

Com efeitos como regeneração celular, ação anti-inflamatória e até efeito lipolítico (atuando na quebra da gordura), a prática também é utilizada por pacientes que procuram um tratamento estético com substâncias naturais. “Até no bigode chinês pode ser usado. Temos um antes e depois dos glúteos de uma paciente que fez para melhorar o aspecto da celulite. Veja como funciona e de maneira natural”, afirma Marisa.

E COMO FUNCIONA?

O tratamento utiliza a mistura de dois gases: oxigênio (95%) e ozônio (5%), através de uma mistura, feita a partir de um gerador de ozônio medicinal. A aplicação é feita por injeções (quando o tratamento é apenas em uma área) ou até com água e óleos. “O ozônio é uma biomolécula, ou seja, o tratamento não oferece riscos ao paciente. É impossível ter alergia ao ozônio”, garante Marisa.

BENEFÍCIOS

Na lista dos benefícios aos pacientes, estão: a modulação do sistema imunológico; melhora da drenagem linfática; efeito lipolítico (quebra de gorduras); liberação de fatores de crescimento (regeneração); efeito germicida (bactericida e fungicida); regulação do metabolismo e das funções hepáticas, renal e tireoidiana; estimulação da síntese de enzimas antioxidantes intracelulares e liberação do óxido nítrico ( que atua na vasodilatação).

Na parte estética, a ozônioterapia pode ser utilizada na face, corpo e até no cabelo: auxilia na celulite, pode ser feita para gordura localizada, ajuda no combate à acne, no rejuvenescimento facial, na papada, flacidez da pele e estrias. Além de combater a queda capilar e calvície.

 

ONDE ENCONTRAR?

Desenvolvida na Alemanha, no século XIX, a Ozônioterapia começou a ser utilizada rotineiramente na Primeira Guerra Mundial. Hoje, a terapia com ozônio já é reconhecida em mais de 50 países, como um tratamento curativo e estético. Mas, no Brasil, o tratamento ainda é considerado novo e oferecido em poucas clínicas. Marisa Lima, da Doutor Cuidados de Alphaville, é uma das poucas profissionais habilitadas no país que oferece o tratamento. “Participamos de muitos eventos esportivos principalmente para ajudar nas lesões de atletas. Aos poucos, outros pacientes chegam aqui com mais pedidos”.

Para quem tiver outras dúvidas sobre o tratamento, a Doutor Cuidados responde pelo whatsapp: (11) 97710-6298.

Instagram

Site